..
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

COLUNA | GASTRONOMIA »

Na mesa: novidades movimentam a cena gastronômica da cidade

.

Jéssica Germano - Redação Publicação:06/03/2018 18:13Atualização:06/03/2018 18:37

QUE VENHA O NOVO

Foram 21 anos na comercial da 211 Sul. A partir de março, entretanto, o restaurante japonês Sushi San entra em nova fase, desta vez situada na quadra 106, da mesma asa. “Será tudo novo”, garante Beto Brito, sócio-proprietário da casa que construiu em parceria com a irmã Danielle. As mudanças começam pelo ambiente, que ganha ares sofisticados pelo projeto de André Alf. Fachada de pedra com gaiola de aço, bar aberto e piso superior com tatames privativos fazem parte do conceito de ambiente, que terá sonorização por todos os cômodos. Na gastronomia, a transição segue o curso refinado e deságua em um serviço sem mais o rodízio pelo qual ficaram conhecidos, dando vez a pratos e combinados que prezam pelo frescor do preparo, indispensável aos bons japas. Exemplo da proposta é o Experience, que une receitas como usuzukuri de atum com molho de laranja, ceviche de pitaia e joy de vieira.

 (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press)
Combinado de sushis e sashimis do novo Sushi San (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press)
Combinado de sushis e sashimis do novo Sushi San
 

BRASÍLIA PORTUGUESA

É da capital federal o título de melhor sommelier brasileiro de vinhos do Alentejo. O concurso, promovido pela Comissão Vitivinícola Regional Alentejana, teve sua quinta edição em janeiro, em Évora, e destacou Frederico Nunes junto a mais de 100 participantes. A missão do brasiliense durante este ano é divulgar os rótulos produzidos na região portuguesa, que surpreendeu o especialista em vinhos, com experiência de oito anos morando em Mendoza, na Argentina. “São castas que só existem lá e resultam em vinhos especiais que agradam muito aos brasileiros”, diz o campeão, à frente da empresa Millesime Wine Consultancy. Para passar o conhecimento adiante, Frederico vai ministrar um curso na World Wine, na 410 Sul, dia 28 de fevereiro. Garantia de boas memórias.

 (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press)
 

BOTECO DE RAIZ

Reduto certo para esquenta de festas ou transmissão animada de jogos, o Versão Brasileira começou 2018 já mirando em atualizações. O grande convidado para orquestrar o movimento foi Claude Capdeville (à esq.) responsável pelo icônico Toca do Chopp, da Quituart. Conhecido pela vertente clássica de boteco, ele foi convidado para prestar a consultoria que resultou, por exemplo, em versões miniaturas de petiscos para rodada no salão, como caldinho de feijão com ovo de codorna. “Com isso, pegamos o público que fica em pé na casa também”, afirma o cozinheiro. Seja um bolinho de bacalhau com creme de milho seja um pastelzinho de queijo do reino, a ideia é seguir por pedidas de bar com um toque especial. Quem já dá seguimento às novidades é Carlos Antônio Sousa, chef fixo do estabelecimento.

 (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press)
Porção pastel do reino e um bobo da corte servido no Versão Brasileira (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press)
Porção pastel do reino e um bobo da corte servido no Versão Brasileira

EVOLUIU

Quando lançou a Kombuchar no mercado brasiliense, há dois anos, o propósito de Hannah Gopa era estabelecer nova função profissional, enquanto dava os primeiros passos na maternidade. De lá para cá, a experiência de produzir a bebida probiótica a partir de fermentação de chá não só foi pioneira e bem-sucedida, como evoluiu. Com clientes fiéis, que chegam a comprar 80 garrafas de um dos quatro rótulos da marca apenas em uma manhã de sábado – quando ficam à venda no Café com Feira, da Grand Cru –, a iniciativa deve continuar, mesmo com a idealizadora de mudança pronta para a Alemanha. Quem recebe o bastão de assumir a microempresa é a publicitária Jamile Nunes.

 (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press)
Produtos da Kombucha (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press)
Produtos da Kombucha
 

NO FORNO

Comida é memória, como boa parte da população mundial já entendeu. Para o americano Tim Sutton, ela é também carinho ao próximo e, agora, profissão. Com residência fixa em Brasília desde o fim do ano passado, o confeiteiro radicado em Nova York decidiu ouvir o feedback dos amigos e investiu no dom que exerce desde pequeno: fazer cookies caseiros, como manda a tradição dos EUA. A aceitação da Tim Cookies no mercado foi tão boa que, além de bater recordes de produção na primeira semana de fornada, já foi escalada para integrar o time da Luxo de Festa, maior exposição de festas do Centro-Oeste. Idealizado por César Serra, o evento acontece em maio e terá degustação dos biscoitos em diferentes formatos, incluindo versão miniatura, e também do sabor lançamento Ginger: gengibre, melaço de cana e especiarias.

 (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press)
Cookies da Tim Cookies (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press)
Cookies da Tim Cookies
 

COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 64 | ESPECIAL