..
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Quem dança suas calorias espanta

Atividade é uma divertida aliada para quem quer manter estilo de vida mais ativo, saudável e, de quebra, perder peso

Isabella de Andrade - Publicação:25/04/2018 17:23Atualização:25/04/2018 17:55

Dançar pode ser uma das alternativas mais divertidas para quem se cansou de repetir o mesmo treino na academia. A modalidade aeróbica auxilia na perda de peso e na manutenção de um estilo de vida mais ativo e saudável. As aulas coletivas ganham cada vez mais adeptos nas academias de ginástica e espaços especializados. Além de acelerar os batimentos cardíacos e garantir um exercício de maneira mais descontraída, dançar pode ajudar a combater o estresse, tonificar músculos de partes específicas do corpo e melhorar a agilidade e consciência corporal.

 

É nisso que acredita a educadora física e professora de dança Giovana Zoltay, de 28 anos. Além de dar aulas de dança em modalidades diversas em espaços como a Backstage Dance Center, Spazio Danza e 678 Escola de Dança, ela cria coreografias específicas para festas e eventos na Ânima Coreografias. Para ela, a dança melhora a qualidade de vida, combate o estresse e melhora a autoestima dos alunos. Quem decide remexer o corpo em ritmos variados conta, ainda, com os benefícios já conhecidos de outras atividades físicas, como força, flexibilidade, melhora na postura e na capacidade cardiovascular. “Além do convívio em grupo, que trabalha o lado social. O indivíduo que dança supera seus limites a cada aula e se enxerga de maneira diferente e mais valorizada, trazendo, assim, mais confiança e empoderamento para si”, afirma Giovana.

A educadora física 
e professora de dança 
Giovana Zoltay, que dá aulas em diversos espaços: 
'O indivíduo que dança 
supera seus limites a cada 
aula e se enxerga de 
maneira diferente 
e mais valorizada' (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press)
A educadora física e professora de dança Giovana Zoltay, que dá aulas em diversos espaços: "O indivíduo que dança supera seus limites a cada aula e se enxerga de maneira diferente e mais valorizada"
 

A professora destaca que a dança pode ajudar no emagrecimento, por ser considerada uma das principais atividades aeróbicas, exercitando os grandes grupos musculares. As aulas podem ser praticadas por pessoas de qualquer idade. Desde crianças até a melhor idade, dentro dos seus níveis de dificuldade e preferências musicais. “A vantagem de praticar essa modalidade é que a dança é uma das poucas atividades que trabalha o indivíduo por completo: motor, cognitivo e social”, destaca a professora. Giovana lida com a dança há nove anos e conta que grande parte de seus alunos a procura justamente em busca de uma atividade diferente da musculação e dos exercícios mais tradicionais.

 

Dançar auxilia na perda de peso e tonifica a musculatura, por isso muitas academias especializadas em musculação incluem aulas de diferentes ritmos em sua grade horária. É o caso da academia Club 22, que inseriu diversas modalidades entre os aparelhos de musculação para aumentar a disposição dos alunos. Quem quiser sair da rotina e variar o treinamento diário pode escolher entre fit dance e dance mix, criadas especialmente para potencializar a queima calórica de maneira mais lúdica e descontraída. “As aulas possibilitam uma queima calórica grande, sendo uma excelente forma de emagrecer. O público que frequenta as salas é muito variado, de jovens a pessoas com idade mais avançada”, conta Marcelo Pinto, proprietário da academia. Para ele, as pessoas que optam pela prática se tornam mais alegres no cotidiano.

Marcelo Pinto, proprietário da Club 22, onde são oferecidas a fit dance e a dance mix: aulas para potencializar a queima calórica 
de maneira mais lúdica e descontraída (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press)
Marcelo Pinto, proprietário da Club 22, onde são oferecidas a fit dance e a dance mix: aulas para potencializar a queima calórica de maneira mais lúdica e descontraída
 

Quem busca resultados ainda mais eficientes pode unir as duas modalidades nas academias, aproveitando os benefícios da dança enquanto trabalha partes mais específicas do corpo na musculação. Além dos ritmos mais conhecidos, novas modalidades têm conquistado um número crescente de adeptos, como o pole dance. Marcela Rodrigues, de 31 anos, é professora de dança em estilos variados há 10 anos e abriu seu próprio estúdio em 2017, o Pole Voe. Ela firma que o pole é uma atividade muito dinâmica, trabalhando o corpo inteiro. Existem momentos de maior aceleração e outros de maior resistência. Uma aula completa prevê aquecimento, condicionamento e coreografia. “Muitas calorias são queimadas. Gosto de dizer que o pole é uma mistura perfeita entre atividade física intensa e artística. Ou seja, trabalhamos simultaneamente o corpo e a mente de forma criativa por meio da dança”, destaca Marcela.

 

A professora afirma que, ao longo do curso, os alunos percebem o fortalecimento gradual da musculatura, o ganho de flexibilidade, mobilidade, controle dos movimentos e o aumento da consciência corporal, além de grande realização pessoal a cada novo movimento executado: “Junto a isso vêm as endorfinas, a vontade de melhorar a alimentação, de se cuidar cada vez mais. Saúde e bem-estar garantidos”, afirma a professora. A autoestima é certamente o maior ganho emocional. Muitos desafios e superações acontecem durante as aulas e, se a pessoa encarar no espelho, aceitar-se, admirar-se e se encorajar a cada evolução é porta para muito poder pessoal.

A professora Marcela Rodrigues e alguns de seus alunos na aula de pole dance: 'Gosto de dizer que o pole é uma mistura perfeita entre atividade física intensa e artística. Ou seja, trabalhamos simultaneamente o corpo e a mente de forma criativa por meio da dança', diz (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press)
A professora Marcela Rodrigues e alguns de seus alunos na aula de pole dance: "Gosto de dizer que o pole é uma mistura perfeita entre atividade física intensa e artística. Ou seja, trabalhamos simultaneamente o corpo e a mente de forma criativa por meio da dança", diz
  

O pole dance pode ser praticado por todos, homens e mulheres, sem restrição. Marcela conta que crianças também podem fazer, existe inclusive a aula pole kids em algumas academias, que pode ser comparada com uma mistura entre ginástica e circo, mas a maioria das academias ainda foca no público a partir de 16 anos. “A idade mais frequente se concentra entre os 25 e 45 anos, um público bastante heterogêneo, porém com uma busca em comum por uma atividade física diferente das convencionais”, diz. A modalidade se tornou mundialmente reconhecida e existe, hoje, segundo Marcela, um grande universo de competições, campeonatos e shows que exploram todas as nuances artísticas e temáticas possíveis, que vão do pole clássico, o mais sensual, até o pole art, que envolve a dança contemporânea.

 

Para Marcela Rodrigues, o principal benefício, além da melhora na saúde física, é o resgate da autoestima e cuidado com o corpo. “Cada pessoa que começa a praticar o pole dance descobre um novo universo possível dentro de si. A troca com os colegas que o praticam também é sempre muito gostosa. Torna-se um ambiente social muito saudável”. O pole, ela explica, é uma atividade democrática, pois utiliza a força e o peso do próprio corpo. Quanto mais técnico e consciente for o treino, menor o risco de qualquer tipo de lesão. Por isso, a importância de fazer aulas sempre com profissionais que estudam e se capacitam constantemente. Em geral, não existem contraindicações. “Mantendo uma frequência de duas vezes por semana, em dois meses já é possível notar muitos ganhos”, destaca.

 

A Cia. Athletica também investe em ritmos diferentes e danças que buscam trabalhar a autoestima da mulherada. É o caso da sensual dance, uma aula que busca melhorar a relação com o próprio corpo, o autoconhecimento e a ligação com a expressão feminina de cada mulher. Valesca Batistel Mezzomo é uma das professoras da modalidade e acredita que a atividade colabora para o alívio de tensões do cotidiano. “Ela combate o estresse e melhora o psicológico das praticantes. Minha aula resgata o lado feminino, aumentando a confiança das mulheres”, destaca a professora.

Aula no Empório Cultural: dançar pode ajudar a combater o estresse, tonificar músculos de partes específicas do corpo e melhorar a agilidade e consciência corporal (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press)
Aula no Empório Cultural: dançar pode ajudar a combater o estresse, tonificar músculos de partes específicas do corpo e melhorar a agilidade e consciência corporal

Valesca conta que as aulas não têm restrição de idade e que suas turmas reúnem mulheres de estágios diferentes da vida, desde os 20 até os 72 anos. A convivência entre faixas etárias colabora para a expansão da vivência das alunas. “O que faço é adaptar os movimentos de acordo com a capacidade de cada uma e dentro de suas limitações. Toda aula pode e deve ser ajustada para receber todo o público, não impedindo ninguém de começar a dançar”, lembra a educadora.

 

A Evolve Gymbox também aderiu à tendência, promovendo aulas de fitdance e zumba entre as salas de aulas movimentadas da academia. Henrique Pereira Silva, educador físico e sócio da academia, acredita que, entre os principais benefícios da dança, para além dos corporais, está a melhora na interação social dos participantes. “É uma atividade que pode ser feita por pessoas de todas as idades e níveis de condicionamento físico”, diz. O crescimento gradual da agilidade e aptidão motora é outro ponto em destaque.

Henrique Pereira, educador físico e sócio da Evolve, afirma que a dança melhora a interação social: 'Pode ser feita por pessoas de todas as idades e níveis de condicionamento físico' (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press)
Henrique Pereira, educador físico e sócio da Evolve, afirma que a dança melhora a interação social: "Pode ser feita por pessoas de todas as idades e níveis de condicionamento físico"
 

A preparação antes do início das aulas também colabora para o desenvolvimento corporal. Para deixar o corpo pronto, evitar lesões e ampliar o alcance dos movimentos, o alongamento é essencial e se torna um importante aliado. Com isso, a postura fica mais alinhada e os músculos, mais flexíveis, melhorando ainda mais o controle sobre cada movimento. Quanto ao combate ao estresse, todos os exercícios físicos liberam neurotransmissores do prazer (dopamina, ocitocina, serotonina) e esse aumento garante uma sensação de bem-estar ao longo do dia. Ao praticar as aulas de dança, o aluno deve ainda manter a mente concentrada para aprender as coreografias e manter o corpo no ritmo. Essa concentração total no instante ajuda a desligar a mente das preocupações cotidianas, colaborando para a diminuição dos sintomas de estresse e ansiedade.

 

CINCO BENEFÍCIOS

 

Algumas das vantagens de fazer aulas de dança

 

1 Emagrecimento

2 Domínio e consciência corporal

3 Flexibilidade, agilidade e coordenação motora

4 Redução do estresse e ansiedade

5 Melhora da autoestima

Fonte: especialistas consultados

 

ONDE PRATICAR

 

Academia Club 22:

è Setor de Clubes Sul. http://www.bsdc.com.br

 

Cia. Athletica:

èShopping Pier 21. www.ciaathletica.com.br

 

Estúdio Pole Voe:

è Venâncio Shopping. Nas redes sociais IG e FB: @polevoe

 

Evolve Gymbox:

è Brasil 21. http://evolvegymbox.com.br

 

Spazio Danza:

è Ed. Villa Mall - Águas Claras.

https://www.spaziodanza.com.br/ 

COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 67 | outubro