..
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

DECORAÇÃO | AMBIENTES »

Quatro ambientes criados por arquitetos que priorizam a sustentabilidade em casa

Pensando em aliar beleza e sustentabilidade, projetos promovem a redução do impacto ao meio ambiente

Mariana Froes - Publicação:19/06/2018 16:30

Um dos grandes desafios da paginação e da idealização de ambientes é aliar beleza à consciência ecológica. Embora seja praticamente impossível criar espaços 100% sustentáveis, vale a pena começar pelos detalhes para colocar a proposta no caminho certo, seja a partir do reaproveitamento de materiais, seja por meio da reciclagem, seja até mesmo com o planejamento estrutural de um cômodo.

 

Com foco na economia de recursos naturais e na incorporação de elementos da natureza em decorações tipicamente urbanas, quatro arquitetos do DF desenvolveram projetos que esbanjam personalidade e fogem do lugar-comum. Entre os espaços, está uma área de convivência assinada pela arquiteta Ângela Castilho para a mostra CasaCor Brasília do ano passado.

 

A profissional aproveitou referências de construções gregas – a partir de tons claros e de acabamentos rústicos – para nortear seu trabalho. A madeira, o linho e o bambu são exemplos de elementos que foram usados. “Quando se fala em ambiente sustentável, ecológico, muitas vezes as pessoas já imaginam uma casa de sapê, com paredes de adobe no meio do mato. A atmosfera que criamos, no entanto, prova que isso está longe de ser uma regra”, afirma Ângela. “Essas referências estão desde o espelho d’água até o jardim. Nesse primeiro, era feita a filtragem de água das torneiras. No segundo, havia a incorporação de um adubo natural, feito ali mesmo, em uma composteira”, diz a arquiteta.

 

RENOVAÇÃO E CONFORTO

Quem avista o painel de vidro no tom tangerina logo na entrada do loft criado pelo arquiteto Ney Lima não imagina que a peça seja feita de material reciclado. Pois é, a solução foi incorporada pelo profissional no espaço de 184 m² não só com objetivo estético, mas pensando em minimizar as trocas de temperatura entre o exterior e o interior do ambiente, evitando-se, desse modo, gastos com equipamentos como ar condicionado e/ou aquecedor. Segundo Lima, o isolamento térmico é garantido graças à alta tecnologia na fabricação da estrutura, integralmente reaproveitada, desenvolvida pela Cinex. Ele conta, ainda, que a escolha do item se deu no sentido de proporcionar conforto ao usuário e, ao mesmo tempo, trazer singularidade à decoração.

 (Jomar Bragança/Divulgação)
 (Divulgação)
 

NATURALIDADE PRÁTICA

No escritório de luxo criado pelos arquitetos Lídia Branquinho e Marcus Leite, do Stúdio Ambo, a natureza é protagonista. O verde domina a proposta e, combinado com a madeira, deixa a atmosfera muito confortável. Entre os elementos naturais do projeto, destaca-se o jardim vertical, uma tendência do décor nos últimos anos. Segundo os profissionais, é prático, democrático e acessível. “Ele pode fazer a diferença em uma casa ou mesmo em um ambiente comercial”, dizem. Além da beleza, é um item que traz benefícios, sendo grande aliado no isolamento acústico e térmico do ambiente, bem como na renovação do ar. “E, em um momento que se fala tanto sobre uso racional de água, é possível optar por tipos de plantas que demandam menos regas”, completa. Exemplos são a samambaia, o antúrio, a ripsális, o véu-de-noiva e a avenca. Essa última popularmente chamada de “planta seca”, uma vez que sua manutenção pode ser feita apenas com um pano úmido de tempos em tempos.

 (Willian De Paula/Divulgação  )
 (João P. Teles/Divulgação)
 

RÚSTICO E ACOLHEDOR

Para criar esta área externa, intimista e acolhedora, voltada à integração de pessoas, o arquiteto André Alf apostou em materiais duradouros e renováveis, como é o caso das madeiras das mesas e das fibras naturais de algumas cadeiras. “Apostar nesses itens é importante para minimizar o impacto negativo que outros produtos têm no ambiente”, afirma o profissional. Para deixar a área com uma pegada mais rústica, ele ainda apostou em um jardim vertical. Nesse caso, as plantas foram dispostas em blocos estruturais de diferentes formatos. Em propostas como essa, o muro de sustentação pode ser construído de arrimo vegetado, que tem característica sustentável e pode substituir bem estruturas convencionais de maior impacto ambiental.

 (Clausem Bonifácio/Divulgação )
 (Gabriel Lucas/Divulgação )
 

MENOS É MAIS

Um retorno ao essencial. Foi com essa proposta que os arquitetos Ângela Castilho e Alex Rodrigues desenvolveram este ambiente, que preza pela sustentabilidade e pela conexão com a natureza. O branco impera e remete à sensação de leveza e tranquilidade. O tom harmoniza bem com os elementos naturais incorporados no espaço, como é o caso da madeira. Os profissionais levaram a proposta tão a sério que lançaram mão de um sistema de filtragem da água das torneiras. Ele funciona a partir do espelho d’água, que conta com plantas aquáticas que se alimentam das impurezas, além de pedras que auxiliam no processo de purificação. O jardim e as hortas instaladas no espaço usam adubo natural produzido em uma composteira. A iluminação também ganhou tratamento especial. Todas as luzes instaladas no recinto são de LED.

 (Edgard César/Divulgação  )
 (Edgard César/Divulgação)
 

COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 64 | ESPECIAL