..
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Especialistas em educação física dão dicas para quem quer malhar com mais frequência

Dicas valem também para quem pretende começar a sair da vida sedentária e ter mais saúde

Vilhena Soares - Publicação:16/04/2019 18:37Atualização:16/04/2019 18:46

Atividades físicas são um dos pilares essenciais para garantir bem-estar, porque proporcionam uma série de benefícios ao organismo, como a prevenção de doenças comuns, entre elas obesidade, pressão alta e diabetes, e ainda promovem o aumento da imunidade e capacidade funcional. Além disso, atividades aeróbicas como a corrida, segundo especialistas de academias da capital, geram uma melhora na saúde mental, ao diminuir o estresse enfrentado no dia a dia.

 

Uma especialista nisso, a personal trainer Thamires Fontenele, de 31 anos, decidiu bem cedo dedicar-se à área. Desde o curso de educação física na Universidade de Brasília (UnB), ela vive ao máximo o universo fitness. “Quis experimentar de tudo para saber o que eu gostava mais de fazer”, conta Thamires, que destaca que essa é uma das melhores dicas a serem seguidas para quem quer incorporar a prática esportiva na rotina. “É muito importante saber o que você gosta, para que não se torne em algo maçante”, diz. Thamires trabalha na Runway e tem um programa voltado especialmente para pessoas com pouco tempo livre. “Recebi uma proposta para criar uma metodologia de treinos sem muita dificuldade. Pensando nisso, fiz um programa que pode ser praticado em casa mesmo, chamado Desafio Menos 3 em 30”, conta.

Eduarda de 
Araújo malha para
vencer os desafi os do dia a dia:
'Saio da academia com a sensação
de dever cumprido e isso me motiva
a seguir com outras metas na vida' (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press)
Eduarda de Araújo malha para vencer os desafi os do dia a dia: "Saio da academia com a sensação de dever cumprido e isso me motiva a seguir com outras metas na vida"
 

Ex-jogador de futebol, o personal trainer Henrique Pereira, de 37 anos, é apaixonado pelo mundo do esporte. Ele afirma que não obteve sucesso como jogador, mas ainda assim seu amor pelo futebol foi essencial para construir sua carreira na educação fí- sica: “Eu me formei na Universidade Católica de Brasília, onde havia excelentes laboratórios”, diz. Em 2008, ele se tornou gestor da academia Evolve e em 2017 assumiu o posto de diretor da empresa. Henrique afirma que uma das tendências na área esportiva é o uso da tecnologia, que tem auxiliado muitas pessoas na prática de atividades físicas: “Tenho lido bastante sobre isso e vejo que os dispositivos chamados de wearable têm sido muito explorados. Existem relógios, por exemplo, que ajudam no monitoramento dos exercícios”. Além disso, segundo ele, esses aparelhos acabam também servindo como incentivo para muitas pessoas aderirem à malhação.

 

Outra dica para quem deseja aventurar-se no mundo fitness são as aulas coletivas. Murilo de Amorim Maciel, de 35 anos, formou-se em educação física na UnB, é personal trainer e instrutor de pilates, alongamento e abdominal da Bodytech do Sudoeste. Ele iniciou seu trabalho na área de musculação, mas depois resolveu incrementar seu conhecimento e começou a trabalhar com grupos, em modalidades como o TRX – atividade em que o aluno utiliza uma fita suspensa para se exercitar. “Gosto de lidar com grupos grandes, pois me permite um contato maior com os alunos. É algo que vai além das máquinas da musculação”, diz. Murilo acredita que o pilates é boa opção para quem está começando no esporte. “Trata-se de um treinamento completo, uma atividade prazerosa que ajuda também na socialização.”

O engenheiro Helder Soares faz crossfit todos os dias e conta que até se sente mal quando
não pode ir à academia: 'Toda hora é possível fazer algo interessante nas aulas'  (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press )
O engenheiro Helder Soares faz crossfit todos os dias e conta que até se sente mal quando não pode ir à academia: "Toda hora é possível fazer algo interessante nas aulas"
 

A goiana Rafaella Vieira Mota, de 31 anos, é professora de musculação, pilates e personal trainer da Fit One. Formada em educação física pela Faculdade de Piracanjuba (FAP-GO), ela também acredita que aulas coletivas, oferecidas atualmente pelas academias, ajudam a quem quer começar a malhar: “No trabalho diário com os alunos conseguimos ver qual atividade eles preferem. Tem gente que não se anima tanto ao fazer exercícios sozinha e com outras pessoas já ocorre o contrário”.

 

Segundo Rafaella, é muito fácil encontrar uma atividade para incorporar na rotina: “Hoje, temos opções diversas para a pessoa fazer exercí- cios tanto em casa, como na rua ou na academia. Muita gente não gosta de lugares fechados, por exemplo”. Ela lembra ainda que a capital tem amplos espaços destinados ao lazer. “Em Brasília, temos muita praças e parques que podem ser aproveitados ao máximo, seja sozinho, em grupos ou com o acompanhamento de um profissional.”

 

Henrique Pereira, diretor da academia Evolve, afirma que a tecnologia ajuda muito na hora
da malhação: 'Existem relógios, por exemplo, que ajudam no monitoramento dos exercícios' (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press )
Henrique Pereira, diretor da academia Evolve, afirma que a tecnologia ajuda muito na hora da malhação: "Existem relógios, por exemplo, que ajudam no monitoramento dos exercícios"

Além de ajudar na perda de peso, as atividades físicas também podem prevenir doenças, o que atrai mais pessoas preocupadas em mudar os hábitos de vida e proteger a saúde. O personal trainer mineiro Paulo Cé- sar de Oliveira, de 30 anos, formado em educação física pelo Centro Universitário do Triângulo (Unitri-MG), acredita que o exercício físico é uma das medidas mais importantes para evitar problemas causados pelo estresse do cotidiano. Ele é especialista em lesões e doenças do sistema músculo-esquelético, além de programas de bem-estar e coordena a Club 22. Paulo César conta que esses programas da academia são voltados para empresas que querem aumentar a produtividade e combater problemas de saúde relacionados ao trabalho e que a atividade física funciona como medida preventiva: “Essa conscientização tem crescido, o que é muito bom. É melhor evitar problemas do que gastar com remédios. As pessoas querem viver e envelhecer bem, para aproveitar sua aposentadoria”.

 

Para a estudante Eduarda Araú- jo, de 20 anos, o esporte pode ajudar a superar desafios em diversas áreas da vida. “Malho já há algum tempo e a minha meta neste ano é me esfor- çar mais ainda. Acredito que já tenho uma rotina que me ajuda não só com a estética, mas também com a minha saúde, e ela me deixa mais feliz”, afirma. “Saio da academia com a sensação de dever cumprido e isso me motiva a seguir com outras metas na vida.”

Andréia Silva conta que perdeu 18 quilos depois que passou a levar os exercícios a sério: 'Um short
que antes nem fechava, em poucos meses já estava mais largo em mim', diz a analista de TI (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press )
Andréia Silva conta que perdeu 18 quilos depois que passou a levar os exercícios a sério: "Um short que antes nem fechava, em poucos meses já estava mais largo em mim", diz a analista de TI
 

Andreia Patrícia da Silva, de 43 anos, analista de tecnologia da informação, é exemplo de como o exercício físico constante pode gerar ganhos ao bem-estar e à saúde. “Sempre malhei, mas não tinha regularidade. Uma vez saí para almoçar com uns amigos, passei mal e minha pressão ficou muito alta”, conta. Foi aí que ela resolveu mudar de vida e hoje comemora a melhora na saúde, além de ter perdido 18 quilos. “Estou muito feliz com isso. Um short que antes nem fechava, em poucos meses já estava mais largo em mim”, diz.

 

Camila Cristina Silva, de 34 anos, também começou a malhar para ter ganhos na saúde, e hoje mantém o hábito pelo prazer. “Gosto de ir à academia, de correr, pedalar, dançar, e recentemente comecei aulas de defesa pessoal”, conta. “Antes, eu tentava aliviar meus problemas com medicamentos, mas, hoje, uma aula de dança já me faz sentir melhor. Além do lado estético, também me ajuda muito no emocional”, diz a administradora, que trabalha com vendas e costuma frequentar o Parque da Cidade para correr e praticar kangoo jump – um aparelho com um sistema de amortecimento na hora dos exercícios físicos.

Professora de musculação, Rafaella Mota dá a dica para quem prefere exercitar-se ao ar livre:
'Brasília tem amplos espaços públicos, como praças e parques, destinados ao lazer' (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press)
Professora de musculação, Rafaella Mota dá a dica para quem prefere exercitar-se ao ar livre: "Brasília tem amplos espaços públicos, como praças e parques, destinados ao lazer"
 

Uma das modalidades, para quem quer perder peso como Camila e que mais tem chamado a atenção atualmente, é o crossfit. Naor Gorga Luma, de 35 anos, é coach da Centaurus e um enstusiasta do esporte. O professor, formado em educação física pela UnB, é atleta desde pequeno: lutava judô e depois resolveu se formar em educação física. Ele deu aulas de musculação em uma academia até descobrir o crossfit e dedicar-se totalmente a ele. “Quando experimentei, vi que era diferente, porque na academia você acaba ficando na zona de conforto. Mas, nesse esporte, não, é preciso sempre dar o seu máximo”, diz. Naor acredita que pessoas interessadas no crossfit devem fazer uma aula experimental para conhecer melhor a modalidade: “Existe um mito de que para praticar o crossfit é preciso estar em forma e que ele pode causar muitas lesões, mas nada disso é verdade”, afirma o professor.

 

Uma das modalidades, para quem quer perder peso como Camila e que mais tem chamado a atenção atualmente, é o crossfit. Naor Gorga Luma, de 35 anos, é coach da Centaurus e um enstusiasta do esporte. O professor, formado em educação física pela UnB, é atleta desde pequeno: lutava judô e depois resolveu se formar em educação física. Ele deu aulas de musculação em uma academia até descobrir o crossfit e dedicar-se totalmente a ele. “Quando experimentei, vi que era diferente, porque na academia você acaba ficando na zona de conforto. Mas, nesse esporte, não, é preciso sempre dar o seu máximo”, diz. Naor acredita que pessoas interessadas no crossfit devem fazer uma aula experimental para conhecer melhor a modalidade: “Existe um mito de que para praticar o crossfit é preciso estar em forma e que ele pode causar muitas lesões, mas nada disso é verdade”, afirma o professor.

Pilates é boa opção para quem está começando a exercitar-se, segundo o professor Murilo Maciel:
'Trata-se de um treinamento completo, uma atividade prazerosa que ajuda também na socialização' (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press   )
Pilates é boa opção para quem está começando a exercitar-se, segundo o professor Murilo Maciel: "Trata-se de um treinamento completo, uma atividade prazerosa que ajuda também na socialização"
 

O engenheiro eletrônico e de telecomunicações Helder da Silva Soares, de 33 anos, é adepto do exercício. Com 18 anos, ele ia à academia e ainda corria, quando descobriu o crossfit. “Fiquei encantado, principalmente porque existia uma série de desafios. Toda hora é possível fazer algo interessante, como andar de cabeça para baixo, por exemplo.” Hoje, Helder pratica as atividades todos os dias e diz que até se sente mal quando não consegue ir à academia. “É interessante, porque você conhece seu corpo e os limites dele, além da socialização envolvida e da disciplina, algo que devemos levar em tudo na vida, na minha opinião. Só com a disciplina vamos ter foco para trabalhar e conquistar o que queremos”, diz.

 

MEXA-SE!

Dicas de personal trainers para sair do sedentarismo e manter a rotina na malhação

 

è Atividades ao ar livre: Especialistas ressaltam que para pessoas que não gostam do ambiente de academia uma das saídas é tentar frequentar um parque ou praça próximo de casa. Lugares em que é mais fácil ter acesso podem ajudar a espantar a preguiça e atividades simples podem ser feitas nesses espaços como corrida, caminhada, andar de bicicleta ou de patins.

 

è Musculação: Quem gosta de atividades individuais pode buscar uma academia e seguir uma série de exercícios de musculação, sempre orientado por um professor. Essa atividade ajuda a definir músculos e na perda de peso.

A administradora
Camila Silva costuma
praticar kangoo jump
no Parque da Cidade:
'Antes, eu tentava aliviar
meus problemas com
medicamentos, mas, hoje,
uma aula de dança já me
faz sentir melhor' (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press)
A administradora Camila Silva costuma praticar kangoo jump no Parque da Cidade: "Antes, eu tentava aliviar meus problemas com medicamentos, mas, hoje, uma aula de dança já me faz sentir melhor"
 

è Atividades em grupo: Muitas academias oferecem uma série de opções para quem se sente mais motivado em realizar atividades em grupo, como a zumba, o pilates, a dança FIT e ioga. Todas atividades ajudam na perda de peso e servem como ótimo começo para quem ainda é iniciante na área esportiva.

 

è Crossfit: A atividade surgiu em 2000 nos Estados Unidos, mas ganhou espaço apenas recentemente no Brasil. Ela ajuda a perder peso e definir músculos. Pode ser realizada por qualquer pessoa, desde que orientada por especialistas.

 

è Trabalho individual: Quem deseja uma orientação direcionada pode pedir ao especialista que monte uma rotina de treinos com foco em seus objetivos principais: perda de peso, melhora de saúde, entre outros.

 

è Tempo e rotina: Especialistas destacam que o ideal é realizar pelo menos 20 minutos de exercícios por dia. A rotina é importante, por isso a escolha de uma atividade prazerosa é essencial para ter sucesso. Locais mais próximos seja do trabalho ou de casa também contribuem para manter o hábito do esporte no cotidiano.

 

COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 69 - DE A A Z: UM GUIA PARA A SAÚDE DA MULHER