..
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Mais um grande hospital, em breve

Rede Ímpar investe 300 milhões de reais em nova unidade, em construção em Águas Claras, enquanto transforma a sede do Lago Sul em referência nas cirurgias robóticas e em transplantes

Teresa Mello - Publicação:30/05/2019 14:39Atualização:30/05/2019 15:48

Um imenso jardim nos fundos do Hospital Brasília suaviza a rotina de dores e incertezas dos pacientes ali internados. No gramado impecável, sombreado por árvores generosas, já houve até casamento. Um laguinho com carpas e o murmúrio d’água na fonte lembram o fluxo da vida e nos convidam a cultivar a fé. “Um paciente velhinho, cadeirante, pôde receber a visita do cachorro dele aqui’, conta a diretora geral da Rede Ímpar no Distrito Federal, Regina Duarte, de 55 anos, cardiologista nascida em Leopoldina (MG). Fundado em 1987, o prédio horizontal no Lago Sul parece um grande hotel de praia. “Desde a entrada, esse hospital me instiga”, admite a médica, que mora na capital desde dezembro de 2016.

A cardiologista Regina Duarte, diretora geral da Rede Ímpar no DF, sobre a participação dos funcionários no dia a dia do hospital: 'Somos um time, temos uma gestão bem compartilhada' (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press)
A cardiologista Regina Duarte, diretora geral da Rede Ímpar no DF, sobre a participação dos funcionários no dia a dia do hospital: "Somos um time, temos uma gestão bem compartilhada"
 

Com 16 mil metros de área construída e 183 leitos, pelo local circulam 2 mil funcionários, responsáveis pelo atendimento mensal de 1,5 mil consultas (veja quadro). Referência em neurologia, cardiologia, onco-hematologia e pediatria e, com pronto atendimento 24 horas, o estabelecimento, com o selo de certificação Q Mentum Interna tional, é pioneiro em transplante renal robótico no país com equipe 100% brasileira, realizado em janeiro deste ano. E é o primeiro, no DF, em transplante de medula óssea alogênico (com células de doador), feito em 13 de março último. “O paciente recebeu alta em 2 de abril”, comemora a diretora.

 

Para essas pessoas com imunidade baixa, foi criada, em outubro de 2018, a Unidade de Cuidados Especiais com 10 leitos. Ali, o ar é filtrado seis vezes e o contato com o dia e a noite chega através de vidros com vista para o jardim. Uma enfermeira exclusiva atende o transplantado e a família. Em 2018, houve 18 transplantes de fígado e, só neste ano, 15.

 

Em novembro do ano passado, a cirurgia robótica recebeu investimento de 10 milhões de reais na compra do robô Da Vinci, fabricado pela empresa Intuitive Surgical, da Califórnia (EUA): “Essa tecnologia vem para ficar, é preciso evoluir, puxar a régua da qualidade”, afirma Regina. Desde então, já foram contabilizadas 134 intervenções. Guiado por um cirurgião, o robô é usado em procedimentos pouco invasivos nas áreas de urologia, ginecologia e aparelho digestivo, principal mente. Produz imagens ampliadas e em profundidade. “E nós temos patologistas dentro do centro cirúrgico”, destaca a médica, explicando que esse profissional pode, por exemplo, analisar um tumor no ato, durante a operação.

Fachada do Hospital Brasília: centro de saúde é pioneiro em transplante renal robótico no país com equipe 100% brasileira, realizado em janeiro deste ano (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press)
Fachada do Hospital Brasília: centro de saúde é pioneiro em transplante renal robótico no país com equipe 100% brasileira, realizado em janeiro deste ano
 

Localizada no Sudoeste, a maternidade funciona desde 2012 com 800 funcionários diretos e indiretos e recebe 800 internações por mês. Está equipada com 110 leitos, três UTIs e pronto atendimento 24 horas. “Nosso banco de leite é padrão ouro pelo Ministério da Saúde. Incentivamos o aleitamento materno e a presença do pai ou da mãe é permitida 24 horas na UTI Neonatal”, afirma Regina.

 

O grande empreendimento da Rede Ímpar na capital será a inauguração da unidade do Hospital Brasília, em Águas Claras, em fevereiro de 2020 − e expectativa de abrir o pronto-socorro já em dezembro deste ano. Com investimento de 300 milhões de reais, são 38,5 mil metros quadrados de área construída − na rua 25 Sul, perto da Caesb −, com 10 andares, 120 consultórios, Centro de Diagnósticos e 267 leitos, sendo 70 deles de UTI. Haverá geração de 3 mil empregos diretos e indiretos. “Águas Claras não tem um hospital privado, ocupa uma posição geográfica estratégica e tem uma população de 140 mil habitantes”, lembra a gestora, com MBA em executivo de saúde e que busca a qualidade e a segurança como focos de trabalho: “Este ano, durante três dias, recebemos uma equipe para a revalidação do certificado internacional, promovemos treinamento e orientação para os funcionários”.

 

A preocupação com a satisfação do paciente é outro item fundamental para a direção. Para isso, há questionários pela internet e pesquisas conduzidas pelo Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC) nos apartamentos. “É como uma ouvidoria ambulante”, compara a diretora. “Assim, qualquer problema pode ser resolvido em tempo real.” Os funcionários também são convidados a opinar. “Somos um time, temos uma gestão bem compartilhada”, define Regina, que, quando o trabalho permite, faz questão de almoçar no refeitório do hospital. Como médica, acredita que pode compreender melhor as necessidades da equipe. E, para alegrar o ambiente hospitalar, uma agenda de eventos inclui a comemoração da Páscoa, do dia das Mães, do dia das Crianças, além de apresentação de grupos de canto e a saudável parceria com a ONG Pet Amigo − na qual visitas de animais são incentivadas para determinados pacientes. É como um prontuário de gentilezas. Tudo para levar um acalanto aos enfermos.

Recepção da unidade do Lago Sul: mais de 1.500 atendimentos mensais, com 1.350 internações (Raimundo Sampaio/Esp. Encontro/DA Press)
Recepção da unidade do Lago Sul: mais de 1.500 atendimentos mensais, com 1.350 internações
 

POR DENTRO DO HOSPITAL BRASÍLIA

 

Fundação: 1987

Principais especialidades: neurologia, cardiologia, onco-hematologia, cirurgia geral, transplantes, ginecologia e pediatria

Unidades: 3 (1 em construção, em Águas Claras)

Área construída: 16 mil metros quadrados

Funcionários: 2 mil

Médicos cadastrados: 1.900

Internações/mês: 1.350

Atendimentos nos ambulatórios/mês: 1.500

Leitos de UTI (adulto e infantil): 63

Total de leitos: 183

Pronto atendimento 24h: Sim

Maternidade? Não (a rede possui a Maternidade Brasília)

Heliponto? Não tem

Investimentos em 2019 e próximos anos: R$ 36 milhões

Localização (unidade principal) SHIS QI 15, Conjunto G, Lago Sul – Brasília/DF

COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 71 - ESPECIAL SUSTENTABILIDADE