..
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Elegância e bom gosto na parede

Papéis de parede ajudam na renovação da casa. O item tem ganhado versões, estampas e tecidos sofisticados no Brasil e mundo afora. Deixam qualquer ambiente com uma cara nova. Conheça cinco projetos em que o papel é o destaque na decoração

Mariana Froes - Publicação:03/06/2019 13:39Atualização:03/06/2019 13:44

Grande aliado da decoração, o papel de parede é, sem dúvida, uma solução versátil. E a incorporação desse elemento nos ambientes, embora seja sempre tendência, é algo que remonta 200 anos antes de Cristo, quando o artigo começou a ser produzido na China. Se antes era algo rudimentar e disponível em apenas uma cor, o branco, hoje, ele pode ser fabricado com alta tecnologia empregada, em diferentes formas, tamanhos e estampas.

 

De acordo com a arquiteta Silvana Albuquerque, a demanda pelo produto é grande. “As reproduções são inúmeras. Há estampas, por exemplo, que imitam palha, linho, e dificilmente você vê a diferença. E a saída é grande, pois é algo que permite dar uma cara nova a um cômodo de forma rápida. Tem fácil aplicação e manutenção”, diz. “Mas é sempre bom ter cuidado com o sol e com infiltrações, para prolongar a vida útil dele, que pode permanecer numa parede por décadas”, acrescenta a arquiteta.

 

Silvana apostou no papel de parede em uma sala de TV criada para uma mostra de decoração. Na ocasião, ela inverteu o uso do item e o aplicou no teto. “Como o ambiente era aberto, integrado com uma área gourmet, resolvi usar o papel para delimitar o espaço e também para dar mais aconchego”, justifica.

 

E se engana quem pensa que lugar de papel de parede é somente na sala ou no quarto. Segundo o arquiteto Hélio Albuquerque, o item chegou a praticamente todos os lugares da casa, como lavabo e cozinha. “Ele não perdeu força, muito pelo contrário, ele vem ganhando. É a escolha ideal de quem não quer mexer com obra, pois pode transformar um local e sem fazer sujeira. Mas deve ser usado por com bom senso. Em áreas molhadas, por exemplo, deve-se evitar usá-lo”, afirma. Uma opção mais durável são os papéis vinilicos, que, em linhas gerais, têm PVC na composição.

 

Quando o assunto diz respeito a escolha da estampa, Hélio dá a dica: “Eu sempre brinco com os meus clientes que no lavabo, por exemplo, é possível empregar uma temática mais escandalosa, que chame bem a atenção, pois se trata de um cômodo de pouca frequência, mas que vai causar boa impressão no visitante. Já em quartos, onde a pessoa passa mais tempo, o melhor é optar por algo mais neutro, mais atemporal, que não enjoe muito”, afirma. Junto com a parceria Sonia Peres, Hélio paginou o Lounge do Encontro, um ambiente que esbanja personalidade. O papel de parede em tom azul e com desenhos de folhas é protagonista, além do mobiliário com design diferenciado.

 

O papel de parede está presente em vários dos projetos da arquiteta Walléria Teixeira. Ela conta que gosta de usá-lo para “envelopar” um ambiente, isto é, empregá-lo em todas as paredes e, muitas vezes, até no teto. “Isso dá a sensação de aconchego, acalento, conforto”, diz. Para criar uma sala de estar integrada a um espaço de reuniões, Walléria usou um papel com nuances de nuvens. “A ideia foi transmitir a sensação de paz, relaxamento e fluidez para o local de trabalho”.

 

DESTAQUE MODERNO

Papel de parede também é uma boa pedida para lavabos? Sim! A arquiteta Mariana dos Santos apostou nisso para compor esse espaço. Com 16 metros quadrados, ele exibe, nas paredes deste lavabo, uma das tendências de revestimentos usadas em ambientes modernos: a padronagem geométrica. O ambiente tem gabinetes separados, porém integrados e um lavatório com parede curva revestida com papel de parede em tons de preto, verde e dourado. A decoração é concentrada no uso de materiais neutros e atuais para transmitir, além da praticidade, estilo e elegância.

 (Jomar Bragança/Divulgação)
 

ATMOSFERA ACONCHEGANTE

Nessa proposta, assinada pela arquiteta Silvana Albuquerque, o papel de parede floral foi posicionado no teto para delimitar o espaço da sala de TV de 120 metros quadrados, que é integrada a um espaço gourmet, proporcionando também a sensação de aconchego ao ambiente. Os tons, em cores vivas, do papel de parede internacional Cole & Son ganham destaque dentro do cômodo em meio a peças de design, da iluminação planejada e dos tons como off-white, cru e azul do projeto. A sobriedade fica por conta das tonalidades naturais de painel de madeira de demolição e do piso, também amadeirado. O rústico e o moderno se misturam nessa sala, que tem uma atmosfera convidativa e é propícia para momentos de interação.

 (Clausem Bonifacio/Divulgação)
 

OUSADIA COSMOPOLITA

O papel de parede com estampa diferenciada, marcante e em tons neutros é o destaque no lounge assinado por Walléria Teixeira. A peça Nuvole, da coleção Fornasetti Murals, é um dos sucessos mundiais do segmento de interiores e escolha da arquiteta para esse espaço, que tem como proposta servir para encontros de negócios dentro de casa. Com ar cosmopolita, o ambiente tem ainda mobiliário assinado por grandes designers nacionais, como a mesa Legg e as quatro cadeiras Clad, de Jader Almeida, e a cadeira Beg, estofada em couro caramelo, de Sérgio Rodrigues.

 (Clausem Bonifacio/Divulgação)
 

HARMONIA CLÁSSICA

O projeto da dupla Caroline Napoleão e Fernando Rodrigues exala a beleza da tradição inglesa das salas de chá. Os tons em rosa e toda a leveza da cor estão em evidência no ambiente que tem 17 metros quadrados, onde a história da bebida é explorada. Com peças originais vindas da Inglaterra, como a louça da década de 1930, a sala de jantar tem o estilo clássico e, para compor a proposta, conta com mobiliário de madeira. A iluminação planejada, os quadros e a neutralidade de piso completam, harmonicamente, a atmosfera. O papel de parede, mais uma vez, aparece de forma pouco usual – colocado no teto. A estampa de buquês de flores casa perfeitamente com toda a proposta que é uma união entre o elegante, o erudito e o encantador mundo dos chás.

 (Clausem Bonifacio/Divulgação )
 

NOBREZA ATEMPORAL

Projetado para despertar o resgate do “contato pessoal, do tato e do encontro real”, o espaço batizado como Lounge do Encontro leva o nome da dupla Hélio Albuquerque e Sonia Peres. Com 82 metros quadrados, o ambiente conta com obras de arte, cores vivas, iluminação planejada e elementos modernos e funcionais, além de mobiliário de design, como a cadeira Tupi (Lattoog), que é inspirada em grafismos indígenas e foi construída com “fatias” de madeira. Para compor e receber à altura todos esses elementos, e seguir na mesma linguagem, que envolve a naturalidade de soluções atemporais, um papel de parede em tons de azul, com desenhos de plantas, foi a escolha da dupla, um ponto de destaque na ambientação e enobrece ainda mais o projeto.

 (Jomar Bragança/Divulgação )
 

COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 71 - ESPECIAL SUSTENTABILIDADE