..
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Inovações a favor do meio ambiente

Conheça algumas das novidades presentes em lançamentos residenciais de Brasília, que facilitam a vida dos moradores e ajudam a natureza

Mariana Froes - Publicação:29/08/2019 14:19

Todo processo de edifi cação, seja de uma casa ou de um grande prédio, gera algum impacto ao ambiente. Mas a preocupação do setor construtivo mundial de minimizar essas perdas vem crescendo ano após ano e o conceito de sustentabilidade, ganhando força. Em Brasília, não é diferente. Um bairro emblemático, pensado sob essa lógica, é o Noroeste, que embora ainda esteja em expansão reúne grande número de construções alinhadas à essa corrente. E a tecnologia é um facilitador dessa união.

Ambiente do Jardim das Cerejeiras, da Emplavi: luzes de LED em todos os apartamentos (Divulgação )
Ambiente do Jardim das Cerejeiras, da Emplavi: luzes de LED em todos os apartamentos
 

O Jardins das Cerejeiras é exemplo disso. O empreendimento da Emplavi – que conta com 84 apartamentos, de dois quartos cada um – foi lançado em fevereiro deste ano e possui vários recursos que diminuem gastos e custos. As placas fotovoltaicas instaladas na cobertura são responsáveis pela produção de energia para as áreas comuns do prédio. Além disso, toda a iluminação dos apartamentos é em LED e os vidros das unidades controlam a entrada de calor, mesmo deixando a luz natural entrar. Outro destaque são as vagas com tomadas para carros elétricos – uma tendência adotada em vários lançamentos da capital.

 

Segundo o diretor-técnico da Emplavi, Antônio Augusto Miranda, esses são alguns dos preceitos adotados pela construtora para novos empreendimentos. “Não há como retroceder nessa consciência de menor impacto e o nosso objetivo é sempre inovar, aliando conforto e qualidade ao produto”, afirma.

O Residencial Ministro Ronaldo Costa Couto, localizado
na SQN 110, está em uma das melhores quadras da Asa
Norte, próximo a shoppings e aos polos gastronômicos
da cidade, entre outros. Com apartamentos de 86 a 93
metros quadrados e coberturas duplex de 175 a 187 metros
quadrados, todos com três quartos, sendo uma suíte, o
empreendimento oferece até três vagas de garagem por
unidade. Conta com sistema moderno de reúso de água da
chuva e placas solares para geração de energia (Divulgação )
O Residencial Ministro Ronaldo Costa Couto, localizado na SQN 110, está em uma das melhores quadras da Asa Norte, próximo a shoppings e aos polos gastronômicos da cidade, entre outros. Com apartamentos de 86 a 93 metros quadrados e coberturas duplex de 175 a 187 metros quadrados, todos com três quartos, sendo uma suíte, o empreendimento oferece até três vagas de garagem por unidade. Conta com sistema moderno de reúso de água da chuva e placas solares para geração de energia
 

“Em todas as nossas obras fazemos um gerenciamento ambiental. Para exemplificar posso citar a parceria que temos com empresas de reciclagem, para onde mandamos papel, madeira e latas.”

 

A Brasal também lançou dois prédios no Noroeste – Reserva Brasília e Reserva Cidade –, com itens sustentáveis como lâmpadas frias, sensores de presença nos halls e infraestrutura para reaproveitamento de águas cinzas (qualquer tipo de água residual). Ambos possuem, nas garagens, pontos para abastecimento de carros e bicicletas elétricas, além de disporem de bikes elétricas para uso compartilhado dos moradores. O prédio Reserva Brasília, apresentado ao público em março, conta com 54 unidades de três quartos cada um. Já o Reserva Cidade foi lançado em abril, com 42 apartamentos de três e quatro quartos.

A construtora Villela e Carvalho acaba de entregar as 42 unidades do
Allure Résidence, no Noroeste. O projeto traz inovação e tecnologia de
última geração, com utilização de elementos e práticas sustentáveis
em sua construção, tendência mundial da arquitetura, ao contar com
gerenciamento de resíduo de óleo de cozinha; piscina na área de lazer
aquecida por sistema solar e auxiliar com bomba para troca de calor. O
empreendimento apresenta também automação dos sistemas hidráulicos
e lareira ecológica. O projeto de paisagismo conta com plantas nativas do
cerrado para que a rega resulte em menos consumo de água (Divulgação )
A construtora Villela e Carvalho acaba de entregar as 42 unidades do Allure Résidence, no Noroeste. O projeto traz inovação e tecnologia de última geração, com utilização de elementos e práticas sustentáveis em sua construção, tendência mundial da arquitetura, ao contar com gerenciamento de resíduo de óleo de cozinha; piscina na área de lazer aquecida por sistema solar e auxiliar com bomba para troca de calor. O empreendimento apresenta também automação dos sistemas hidráulicos e lareira ecológica. O projeto de paisagismo conta com plantas nativas do cerrado para que a rega resulte em menos consumo de água
 

O diretor da Brasal em Brasília, Jean Oliveira, afirma que a construtora está atenta às tendências de comportamento e de consumo que têm impacto na vida dos clientes. Por isso, segundo ele, a empresa investe em soluções pioneiras, como as vagas verdes, voltadas aos veículos elétricos, que têm, por vocação, a redução do consumo de combustível e da emissão de gases poluentes. “Estamos sempre investindo em itens de modernidade e de inovação. É tecnologia para resultar em mais conforto, mais segurança e mais sustentabilidade para quem compra com a gente”, diz.

 

Foi também em abril deste ano que a Villela e Carvalho entregou o edifício Allure Résidence, no Noroeste. O projeto, com 42 unidades habitacionais, segue os mesmos princípios de utilização de elementos e práticas menos nocivas ao meio ambiente. Alguns dos pontos de destaque são o gerenciamento de resíduo de óleo de cozinha; o aquecimento por sistema solar da piscina na área de lazer; o controle de vazão das torneiras para lavatórios e duchas das áreas comuns; as duchas e lareiras de linha ecológicas, que gastam menos energia; e a automação dos sistemas hidráulicos.

Localizado no Noroeste e lançado em fevereiro, o

empreendimento Jardins das Cerejeiras, da Emplavi, tem
placas fotovoltaicas na cobertura, que geram energia para
as áreas comuns. Outro ponto de destaque são as tomadas
para carros elétricos. Como não poderia ser diferente,
a iluminação dos apartamentos é toda em LED. Outra
economia é que os vidros têm controle solar, que deixam
a luz entrar, mas que evitam a entrada de calor.
Assim, o uso do ar-condicionado, por exemplo, diminui. (Divulgação)
Localizado no Noroeste e lançado em fevereiro, o empreendimento Jardins das Cerejeiras, da Emplavi, tem placas fotovoltaicas na cobertura, que geram energia para as áreas comuns. Outro ponto de destaque são as tomadas para carros elétricos. Como não poderia ser diferente, a iluminação dos apartamentos é toda em LED. Outra economia é que os vidros têm controle solar, que deixam a luz entrar, mas que evitam a entrada de calor. Assim, o uso do ar-condicionado, por exemplo, diminui.
 

O diretor técnico da construtora, Lander Cabral, acredita que, além da consciência coletiva sobre a importância de se preservar os recursos naturais, os consumidores de Brasília também estão preocupados com a economia financeira gerada nesses empreendimentos. “Todas essas soluções ajudam a abaixar o custo mensal de um apartamento. Quem compra também faz a conta em dinheiro. Por isso, é tão assertivo apostar nessas tecnologias”, afirma. Ainda segundo Cabral, 60% da energia gerada no prédio vêm de placas solares. “Essa é uma realidade no mercado. Daqui a alguns anos, por exemplo, estaremos andando em carros elétricos. Foi pensando no futuro que também adotamos as tomadas nas garagens para abastecimento”, completa.

 

E se engana quem imagina que essas novidades estejam restritas a empreendimentos do Noroeste. A construtora Paulo Octávio, por exemplo, lança, no próximo ano, dois residenciais, na Asa Norte, que dispõem de uma série de mecanismos inteligentes voltados a minimizar perdas na natureza. Os edifícios Márcio Cotrim e Ronaldo Costa Couto possuem sistemas de produção de energia, por meio de placas fotovoltaicas, e de reaproveitamento da água da chuva, canalizando-a pelo telhado e a enviando para uma caixa de reúso. Em seguida, direciona a água para ser usada em outras atividades, como na limpeza de áreas comuns e na jardinagem.

O monitoramento por câmeras, os leitores
biométricos no hall social e os pontos na
garagem para abastecimento de carros
e de bikes elétricas traduzem o conceito
moderno do empreendimento Reserva Cidade,
assim como a lista de itens de economia e
sustentabilidade que conta com lâmpadas
frias no prédio, sensores de presença nos halls,
infraestrutura para reaproveitamento de águas
cinzas (de pias e boxes) e muito mais. Seguindo
a proposta dos últimos lançamentos da Brasal,
serão entregues aos moradores bikes elétricas
para uso em compartilhamento (Divulgação )
O monitoramento por câmeras, os leitores biométricos no hall social e os pontos na garagem para abastecimento de carros e de bikes elétricas traduzem o conceito moderno do empreendimento Reserva Cidade, assim como a lista de itens de economia e sustentabilidade que conta com lâmpadas frias no prédio, sensores de presença nos halls, infraestrutura para reaproveitamento de águas cinzas (de pias e boxes) e muito mais. Seguindo a proposta dos últimos lançamentos da Brasal, serão entregues aos moradores bikes elétricas para uso em compartilhamento
 

O edifício Márcio Cotrim tem apartamentos de quatro quartos, enquanto que o Ronaldo Costa Couto possui unidades de três e quatro quartos. Para o engenheiro de segurança do trabalho da Paulo Octávio, Rafhael Rodrigues de Souza, é vital investir em inovações certificadas com selo verde: “Estudos tam que as ações de sustentabilidade promovidas por empresas impactam no momento da decisão de compra do consumidor. Grandes empresas investem em tecnologia sustentável e nós somos uma delas”.

 

O professor de arquitetura e urbanismo da Universidade de Brasília (UnB) Frederico Flósculo explica que a mentalidade do “ser sustentável” tomou corpo a partir da década de 1970, após guerras e crises energéticas no mundo. “A humanidade soube dos perigos de ser imprudente com os recursos limitados que temos e, com o passar do tempo, isso começou a ser incorporado ao processo construtivo”, conta. Segundo ele, o próprio Lúcio Costa, arquiteto que projetou Brasília ao lado de Oscar Niemeyer, valeu-se dessa lógica ao pensar no conceito de “Cidade Parque”. Para Flósculo, investir em itens sustentáveis nas construções ainda é pouco diante da necessidade do conjunto urbano: “As construtoras devem também envolver-se nas políticas públicas. Infelizmente, nesse quesito Brasília ainda está atrasada”, diz.

O Residencial Marcio
Cotrim, na 208 Norte,
tem localização
privilegiada, próximo a
escolas e universidades,
comércios locais,
restaurantes. Com
infraestrutura completa,
os apartamentos têm
de 127 a 129 metros
quadrados, com duas
vagas de garagem,
enquanto as coberturas
duplex têm de 262 a 270
metros quadrados, com
três vagas de garagem.
Conta também com
sistema moderno de
reúso de água da chuva
e placas solares para
geração de energia (Divulgação )
O Residencial Marcio Cotrim, na 208 Norte, tem localização privilegiada, próximo a escolas e universidades, comércios locais, restaurantes. Com infraestrutura completa, os apartamentos têm de 127 a 129 metros quadrados, com duas vagas de garagem, enquanto as coberturas duplex têm de 262 a 270 metros quadrados, com três vagas de garagem. Conta também com sistema moderno de reúso de água da chuva e placas solares para geração de energia
 

COMENTÁRIOS
Os comentários estão sob a responsabilidade do autor.

EDIÇÃO 74